Espiritismo na Prática

Divulgando o Evangelho de Jesus

Que a mão esquerda não saiba o que faz a direita

Que a mão esquerda não saiba o que faz a direita

Autor: Jeferson Souza      Publicação: 21/03/2019 23:40      Views: 4186      Comentários: 0 

Guardai-vos, não façais as vossas boas obras diante dos homens, com o fim de serdes vistos por eles; de outra sorte não tereis a recompensa da mão de vosso Pai, que está nos Céus. Quando, pois, dás a esmola, não faças tocar a trombeta diante de ti, como praticam os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem honrados dos homens; em verdade vos digo que eles já receberam a sua recompensa. Mas quando dás a esmola, não saiba a tua esquerda o que faz a tua direita; para que a tua esmola fique escondida, e teu Pai, que vê o que fazes em segredo, te pagará. – Mateus 6:1-4

É comum que o Ser humano busque a atenção ou holofotes da mídia e o reconhecimento de um ou mais grupos que lhes recompense suas ações, porém, esta realidade pretensiosa dos homens os leva a fortalecer as raízes da vaidade, do orgulho e do egoísmo, querendo mostrar para os outros suas ações mentirosas e em alguns casos leviana, pois, procuram se auto promoverem as custas de aflições, dores e sofrimentos daqueles que são necessitados.

Quando damos a outrem algum benefício seja material ou moral buscando aplausos ou reportagens midiáticas, estamos fazendo um desserviço para a humanidade e para com o Trabalho de Jesus, pois o Bem verdadeiro é aquele que é ofertado em oculto, aquele não precisa de público, onde seja uma ação entre você e Deus.

Ao realizarmos tarefas benemerentes embasadas com bons sentimentos e Amor fraternal para com o próximo, estamos cumprindo os Ensinamentos do Cristo, pois Jesus nos ensina em sua passagem em Mateus 25: 35-40 que é necessário encontrarmos Jesus e O Encontraremos se cumprirmos o que diz na passagem abaixo, sem buscar as honrarias e vaidades do mundo:

Porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me;
Estava nu, e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e foste me ver.
Então os justos lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, e te demos de comer? ou com sede, e te demos de beber?
E quando te vimos estrangeiro, e te hospedamos? ou nu, e te vestimos?
E quando te vimos enfermo, ou na prisão, e fomos ver-te?
E, respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes.”

A mão direita é representada na passagem de Jesus como sendo a ação às escuras (sem público, em oculto), com pureza e bondade no coração, e sem nenhuma pretensão de idolatria de incautos e mesquinhos.

O Amor verdadeiro, a caridade perfeita é ofertada quando não estamos esperando nada em troca, nem mesmo o "muito obrigado" de quem recebe o auxílio, a intenção vale mais do que a ação, a "boa" ação pode ser travestida de intenção contrária, já a nossa intenção não tem como ocultar.

É essencial que a mão esquerda não saiba o que faz a direita, podemos traduzir como que os outros não saibam o que estamos fazendo de Bem para quem precisa, pois Jesus mesmo nos solicita que tranquemos a porta de nosso quarto e oremos, pois o galardão é maior quando assim fazemos (Mateus 6:5-6).

"Quando orardes, não façais como os hipócritas, que gostam de orar de pé nas sinagogas e nas esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade eu vos digo: já receberam sua recompensa.
Quando orares, entra no teu quarto, fecha a porta e ora ao teu Pai em segredo; e teu Pai, que vê num lugar oculto, recompensar-te-á."

Na próxima vez que ajudarmos alguém, que o façamos sem pretensão, com boa vontade no coração, que saibamos que nós somos responsáveis por toda ação que fizermos no Bem e no mal, que seremos responsabilizados por usarmos o outro como nosso meio de ganhar alguma coisa. É muito importante que saibamos também levarmos o Pão da Vida, que é o conhecimento e as palavras de Jesus sendo vivenciadas todo o dia levando ao necessitado o entendimento e o consolo.

 886. Qual o verdadeiro sentido da palavra caridade, como a entendia Jesus?

      — Benevolência para com todos, indulgência para as imperfeições alheias, perdão das ofensas.

Comentário de Kardec: O amor e a caridade são o complemento da lei de justiça, porque amar ao próximo é fazer-lhe todo o bem possível, que desejaríamos que nos fosse feito. Tal é o sentido das palavras de Jesus: “Amai-vos uns aos outros, como irmãos”.

O Livro dos Espíritos

Muita paz

Veja Também:

Artigos Relacionados

Olá, deixe seu comentário para Que a mão esquerda não saiba o que faz a direita

Enviando Comentário Fechar :/