Espiritismo na Prática

Divulgando o Evangelho de Jesus

Mecanismos da Comunicação

Mecanismos da Comunicação

Autor: Jeferson Souza      Publicação: 20/10/2018 00:39      Views: 153      Comentários: 1 

Hoje iremos abordar o nosso estudo sobre a comunicação entre os seres e as estruturas, perceberemos a importância e a complexidade da comunicação para o Espírito.

O que é o Universo, se não um aglomerado de estruturas físicas e imateriais convivendo sobre à égide do equilíbrio de Leis Universais criadas por Deus e que estão em constante relacionamento entre si.

Relacionamento é formado pela constante e continua comunicação, juntando ambos(Relacionamento e Comunicação - Ver estudo anterior), criamos as chamadas experiências existenciais, que são experimentos que o nosso Espírito aprecia pelo tempo necessário, e essa experiência tem um objetivo: O Aprendizado.

Hoje, queremos falar sobre a comunicação na natureza e como ela acontece. Podemos nos comunicar sem mesmo precisar verbalizar algum som ou gesto em relação a alguém, pois, embora não meditemos na possibilidade da existência de outras formas de comunicação com outras consciências inteligentes ou primitivas, mas elas existem.

O pensamento, por exemplo, é uma forma de comunicação, que iremos abordar mais profundamente em outra oportunidade, mas que adiantamos que esta é uma das maneiras essenciais para haver a comunicação entre duas ou mais consciências que possuem a inteligência em desenvolvimento.

Como regra geral, a comunicação não pode existir se não houver um emissor e um receptor, se não há um emissor, logo não existirá um receptor, e se há um receptor é por que houve um emissor. Tomando este conceito como estrutura base da comunicação.

Toda comunicação é gerada quando o emissor envia ondas eletrônicas e magnéticas para o espaço físico ou espiritual, e elas podem ser interceptadas por alguma Inteligência ou Força Inteligente, mesmo que esta não venha responder para quem a emitiu, mas houve aí, a comunicação e um relacionamento, pois toda comunicação é constituído de uma emanação energética que está impregnada com as características particulares de quem as emite.

Quando o receptor intercepta esta mensagem, logo, senti-lhe as emanações energéticas, mesmo que ele não compreenda a mensagem, porém, a energia que é decodificada pelo Espírito receptor, este é assimilado, embora, se o receptor é Espírito inferior, nem sempre poderá perceber essas emanações por completa, mas pode através da sensibilidade e da percepção ter uma leve e ligeira acepção da energia.

Vejamos uma pessoa com problemas nas cordas vocais, ela não produz qualquer tipo de som verbal emanado oralmente, mas com um olhar faz com que aquele que conviva com ela a muito tempo entenda o seu sentimento, sua emoção e até mesmo o que ela quer dizer com aquele olhar, logo compreendemos que há uma sintonia de vibrações muito definida entre os comunicantes, desta forma, o relacionamento que nutrem em seu seio vibratório, faz com que seus Espíritos se compreendam.

Toda comunicação, seja ela verbalizada ou não, carrega em si uma energia, combinada pelas características de quem as emite, imprimindo nestas características a mais importante delas, que é a intenção. A intenção, é a principal característica que possa ser introduzida na comunicação, mesmo que queiramos mentir, o nosso pensamento nos trai, pois sabemos que aquilo é uma mentira e emanamos para o ambiente e para o receptor esse pensamento, e sem contar com a comunicação corporal que também apresenta ao receptor a verdadeira intenção de quem está se comunicando, basta entender o funcionamento da leitura corporal.

Ao verbalizarmos uma palavra, por exemplo, logo introduzimos nela, a intenção, como já fora dita no parágrafo acima, porém, outras energias são atribuídas a emissão daquela palavra e o mesmo funciona para outras formas de comunicação, são elas: nosso nível vibratório no momento da verbalização, o nosso pensamento, as nossas emoções e sentimentos, a nossa assinatura espiritual.

Vamos explicar ligeiramente, cada uma dessas energias:

- Nosso nível vibratório no momento da verbalização:  É conhecido de todos nós; que possuímos uma energia que envolve o nosso perispírito, e que emanamos para o ambiente essa energia, bem como recolhemos do ambiente energias que existam lá ou que foram deixadas por algum Espírito, seja desencarnado como encarnado.

Desta forma, compreenderemos que a nossa energia está sempre mudando, e com isso estamos nos sintonizando com ondas eletromagnéticas de mesma ordem e frequência, no entanto, como essas energias também se desprendem de nós, é natural que ao nos comunicarmos uma parte ínfima dessa energia seja desprendida e envolvida nas estruturas primárias que serão responsáveis de levar a comunicação e ser decodificada pelo Espírito receptor.

Essas estruturas primárias, que são os átomos e estruturas mais primitivas que compõem estas possuem o seu papel fundamental de carregar em si uma parte desta energia.

- Nosso pensamento: Toda comunicação é a exteriorização de um pensamento, independente da vibração em que ela seja construída, no entanto, o pensamento possui três fases simples: criação, intenção e execução, cada uma das fases é uma preparação para a comunicação, seja ela mental ou verbal.

Quando pensamos em algo ruim, e que não executamos o pensamento tornando-o uma ação, logo o pensamento se desprende de nós e alcança o seu objetivo dirigindo-se ao Espírito a quem dedicamos aquele pensamento, mesmo que não falemos nada com ela, nem gesticulemos e nem a vemos naquele momento.

E toda comunicação tem uma emissão mental, mas não necessariamente uma emissão verbalizada, desta forma, o pensamento se modela energeticamente na segunda fase: a intenção. A criação ela constrói uma ideia, logo a intenção por trás da ideia é quem a envolve, e a execução e o que envia o pensamento ao seu remetente.

- As nossas emoções e sentimentos: Embora as emoções e sentimentos estejam ligados a nosso nível vibratório momentâneo, ele possui suas particularidades, pois o nível vibratório é uma junção de energias combinadas, que são recebidas do Universo  e manipuladas pelo Espírito e no meio disso tudo ele  impregna também uma combinação de emoções, sentimentos e ambiente.

As emoções e os sentimentos influem, e muito, em nosso estado de Espírito, e o mais importante, são energias criadas por nós mesmos, não são energias que já foram animadas por outras consciências, sejam elas Inteligentes ou primitivas.

Embora, tenhamos que referenciar que somos geradores de energias particulares, animadas por nós, mas há também aqueles energias que são criadas pelo Universo e que foram envolvidas energeticamente por outras criaturas;  e no qual somos receptores deste último.

Então, podemos compreender que colocamos aí, em uma comunicação o que somos até aquele momento e em que Estado de Espírito estamos naquele momento em que nos comunicamos.

- Nossa assinatura espiritual:  É algo bastante complexo de explicar, porém, não impossível, todo Espírito quando é criada, possui uma energia particular, exclusiva e que lhe é própria, no entanto, em todos os tipos e formas de comunicação esta assinatura espiritual está presente, independentemente onde quer que esteja, é como se fosse um "DNA".

Pois é através dela que o receptor saberá de quem se trata o emissor, em outras palavras, é ela que revela quem somos. Essa energia exclusiva que temos, interage diretamente com as Leis Universais, que podem ser acessadas pelo Espírito receptor daquela comunicação.

 

Quando criamos uma comunicação é gerada uma rede ou uma ligação direta, entre ambos comunicantes, pois a mente é a responsável por essa ligação, e desta forma, ambos poderão localizarem-se no tempo e no espaço e comunicar-se simultaneamente, não importando a distância e a localidade em que se encontram, basta que ambos estejam sintonizados em mesma frequência.

A sintonia é tudo, sem ela a comunicação não ocorre, porém, no plano físico da matéria universal, podemos conversar com Espíritos encarnados, pertencentes a todas as ordens e classes,  assim também é nos outros planisférios do Universo, tudo depende do tipo de energia que estamos impregnando na comunicação.

Desta forma, podemos compreender o porque que certos tipos de orações não conseguem chegar até o seu receptor, de forma direta, sem o intermédio de Forças Inteligentes atuantes neste meio, pois são movidas de paixões e de energias muito densas, que não conseguem subir as esferas superiores.

O mesmo ocorre quando falamos algo de ruim para alguém, esta pessoa sofre um choque energético no seu perispírito que repassa para o corpo físico, e a pessoa fica mal, com problemas físicos ou com indisposição.

Reforçamos que a comunicação depende de diversos fatores próprios para que possamos ter êxito, no entanto, se não obtemos o êxito, e se não há sintonia entre o emissor e o receptor, há quem faça esse intermédio, porém, somente em algumas exceções, quando a comunicação é sincera, séria e justa que a mensagem é levada para seu destino.

Gastasse inutilmente energias quando tentamos, por exemplo, orar para um santo, pedindo que este nos arranje um casamento, em primeiro lugar, o santo não tem obrigação de conseguir o casamento, e em segundo lugar, essa oração está carregada de desespero e paixão, logo, o santo que seja um Espírito elevado, não poderá atendê-la de imediato,  mesmo se quisesse, pois a frequência entre os dois se anulam naquele momento, e não havendo sintonia não há comunicação, e claro, podendo a posteriori este Espírito santificado ajudar de alguma forma, se possível.

Os animais, por exemplo, não entendem o nosso idioma, e nossa verbalização, como nós a entendemos, eles se comunicam conosco por emissão de energias, desta forma a comunicação ocorre através da troca de energias.

Se estamos zangados com eles, por exemplo, por algo que tenham feito de ruim, logo perceberão a nossa energia, sem mesmo que tenhamos que dizer uma só palavra, e se observarmos a reação que deles vem logo em seguida, demonstrarão que sabem que estamos zangados com eles, e desta forma, assumem posturas similar ao pedido de desculpas, buscando atitudes que possam despertar nos seus donos uma energia que "os desculpem".

O mesmo ocorre com os seres de outros reinos que recebem a nossa comunicação, seja verbal ou não, que reagem a seu modo, os do reino vegetal reagem através da aparência, das cores e da vivacidade, os minerais reagem energeticamente sem qualquer forma demonstrativa.

Quando emitimos uma palavra, por exemplo, carregamos energias e recolhemos do ambiente átomos, estruturas primárias, e as envolvemos com estas energias combinadas que são vocalizadas pelas cordas vocais.

Já no pensamento também emitimos na direção do receptor essas energias que são decodificadas pelos chacras e que logo são apreciadas, mesmo que singelamente, as impressões no cérebro e na mente do receptor.

Podemos dizer que os átomos são responsáveis por conduzir energias animadas, e descobriremos no futuro, características que irão diferenciar os átomos e as estruturas mais primitivas em classes ou ordens, bem como associar-lhe mais claramente como veículo de suma importância para comunicação e também lhe será atribuído outros papeis fundamentais para a existência do Espírito.

Por tanto a comunicação com as criaturas ocorre o tempo todo, e somos responsáveis por aquilo que "dizemos" em todos os planos de exteriorização da comunicação.

Estudo realizado por Jeferson Souza

Veja Também:

Artigos Relacionados

Olá, deixe seu comentário para Mecanismos da Comunicação

Já temos 2 comentário(s). DEIXE O SEU :)
Fátima Urzedo da Silva

Fátima Urzedo da Silva

Estou integrando este conhecimento em minha vida.
★★★★★DIA 21.10.18 12h42RESPONDER
Jeferson Souza
Enviando Comentário Fechar :/
Jeferson Souza

Jeferson Souza

Olá Fátima Urzedo bom dia!


Agradecemos o seu comentário e ficamos felizes por você ter apreciado a nossa matéria. Muito obrigado!


Muita paz!

★★★★★DIA 21.10.18 12h54RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
Enviando Comentário Fechar :/