Espiritismo na Prática

Divulgando o Evangelho de Jesus

Manifestações dos Espíritos - Físicas e Espontâneas

Manifestações dos Espíritos - Físicas e Espontâneas

Autor: Jeferson Souza      Publicação: 07/11/2018 15:10      Views: 76      Comentários: 0 

O que são manifestações físicas e espontâneas e qual é o mecanismo que está por trás desta manifestação.

Antes de iniciarmos o nosso estudo gostaríamos de afirmar que utilizaremos a obra "O Livro dos Médiuns" como nosso roteiro, mais precisamente o capítulo V - Das manifestações físicas espontâneas.

Este tipo de manifestação são provacadas por parte dos Espíritos sem haver a necessidade e vontade de comunicar-se com os encarnados, desta forma, esse tipo de manifestação muitas vezes ocorre de forma importuna.

Comentaremos agora algumas das manifestações mais comuns que ocorrem em centros espíritas, em locais de atividade espiritual e até mesmo em seu próprio lar.

Ruídos e Pancadas - Antes de mais nada, é essencial que saibamos discernir entre o que é espiritual e o que é físico, pois uma porta ou uma janela mal fechada pode bater com o vento, um caminhão pesado que passa próximo de sua casa pode tremer o teto ou a própria casa.

Devemos lembrar que é natural que durante a noite, após um dia de intenso calor, e com a temperatura mais amena, as estruturas de sua casa tenderá a criar ruídos e estalos, devido a movimentação das moléculas que compõem essas estruturas, portanto, devemos estar com os pés no chão para evitar achar que tudo é coisa de Espíritos.

Uma vez descartada a hipótese de que aquela pancada ou aquele ruído foi ocasionado pelo fenômenos climáticos, fisiológicos ou externos, podemos então trabalhar com a possibilidade de uma comunicação espontânea dos Espíritos.

Esses tipos de manifestações quando provocados por Espíritos podemos identificá-los com muita facilidade, pois possuem características de fácil observação como: pancadas secas que ocasionam sons fracos, retumbantes, e sons que mudam de lugar e que se repetem com frequência com estas características se travarmos algum contacto seja oral ou mental.

Essas manifestações tem por objetivo chamar a nossa atenção, às vezes, para a imposição do medo, outras para tirar a nossa atenção de algo ou de alguma coisa, até mesmo para fazer com que a pessoa desvie a sua atenção de um pensamento ou ação que não seja adequado, quebrando assim, o elo que nos ligou há algumas entidades inferiores que estavam se alimentando daquele pensamento ou ação.

Alcançado o êxito, este tipo de manifestação irá cessar, desde que provocadas com intenções sublimes, através de Espíritos a serviço da Espiritualidade Superior, como ocorreu com Allan Kardec, quando estava escrevendo algo que estava errado e contraditório e que o fez parar foram as pancadas buscando a sua atenção (Ver o item 86).

Movimentos de Móveis e Objetos - Muitas vezes alguns objetos são arremessados e ou movimentados de fato, outras vezes, ouvimos sons similares a arrasto de móveis, de vidros ou louças se quebrando, mas que ao constatarmos nada fora devidamente arrastado ou quebrado, esse fenômeno é muito comum.

Muitas vezes isso ocorre porque as pessoas têm medo ou são superticiosas, então, Espíritos de categorias inferiores se comprazem neste tipo de atividade, zombando ou amendrontando os mais imperssionáveis e medrosos.

Outros motivos decorrem do fato de que estes Espíritos sentem-se donos do lugar ou tenham o desejo em perseguir a família ou algum de seus integrantes e há outros que desejam comunicar-se com os encarnados com a finalidade de pedir-lhes alguma coisa para si próprio ou para algum ente querido que se encontra encarnado. E Allan Kardec recomenda:

"Em geral, é um erro ter-se medo. A presença desses Espíritos pode ser importuna, porém, não perigosa. Concebe-se, aliás, que toda gente deseja ver-se livre deles; mas, geralmente, as que isso desejam fazem o contrário do que deveriam fazer para consegui-lo. Se se trata de Espíritos que se divertem, quanto mais ao sério se tomarem as coisas, tanto mais eles persistirão, como crianças travessas, que tanto mais molestam as pessoas, quanto mais estas se impacientam, e que metem medo aos poltrões. Se todos tomassem o alvitre sensato de rir das suas partidas, eles acabariam por se cansar e ficar quietos. Conhecemos  alguém que, longe de se irritar, os excitava, desafiando-os a fazerem tal ou tal coisa, de modo que, ao cabo de poucos dias, não mais voltaram. O Livro dos Médiuns "

As manifestações em sua grande maioria se dá em lugares ermos em residências, neste último, devido a presença de pessoas que possuam condições favoráveis a este tipo de manifestação, mesmo que elas não saibam ou não queiram provocar o fenômeno, elas são chamadas de médiuns naturais.

Essas pessoas possuem fluido animalizado que utilizam para que possam utilizar para a manifestação mediúnica, em sua grande maioria, os Espíritos comunicantes utilizam-se dos médiuns naturais para cumprir seus propósitos, no entanto, há alguns que retiram este fluídos em outro lugar.

Isso nos faz compreender que estes fenômenos em sua grande maioria só é possível quando há médiuns naturais, voluntários ou não, que possam suprir as necessidades de fluídos para que ocorra esse tipo de manifestação. Por isso que este fenômeno não ocorra em todas as residências e lugares ermos.

Já as manifestações realizadas sobre observação e direção de Espíritos superiores que possuem algum propósito nobre, utilizam-se de Espíritos inferiores controlando e colocando limites nas manifestação, para que o exagero não ocorra, e nem que o objetivo descaracterizado para o oposto.

Antes de finalizarmos este estudo é essencial que entendamos que tais manifestações ocorrem quando nós, os encarnados, não vibramos positivamente, não tenhamos pensamentos nobres e atitudes e ações verdadeiramente cristãs, desta forma, encontramo-nos com a Lei de Atração, que faz com que semelhantes atraiam semelhantes.

 

Veja Também:

Artigos Relacionados

Olá, deixe seu comentário para Manifestações dos Espíritos - Físicas e Espontâneas

Enviando Comentário Fechar :/